quarta-feira, 26 de maio de 2010

Música Livre é porcaria?????

Hoje vi a entrevista No Rick Bonadio no http: http://virgula.uol.com.br/ver/canal/musica
e todo o furdunço que ela gerou...
Sim porque ele chamou festivais independentes de música  como o Mada ou Abril Pró Rock de festivais de panelinhas que não revelam nada novo...só mostram sons "conceituais" que segundo ele não é sinônimo de sucesso. Falou que não conhece e não considera Velvet Underground e Leonard Cohen trabalhos bons porque não são conhecidos e ainda disse que quem dá música de graça na internet reconhece que sua música é porcaria e por isso tem que dar mesmo.
Quem chamou né?
Mas enfim...respeito a opinião dele e até entendo partindo do princípio de que o "sucesso" que ele fala é o "sucesso momentâneo". É vender muito e muito rápido e vender muito hj no Brasil não é difícil: basta ter o disco assinado por um produtor "da hora", pagar cerca de 10 mil por mês por uma boa assessoria de imprensa e ainda pagar muito, mas muito bem para as rádios bombarem a música...de tanto ouvir a massa compra a idéia. E essa na verdade é a realidade do mercado musical hoje. Pelo menos esse mercado que movimenta milhões, que ocupa espaço nas rádios comerciais etc... e talvez esse choque de realidade tenha provocado tantos comentários indignados a entrevista de Bonadio.
Isso também significa que tem gente que já está de olho no outro lado do mercado. Aquele lado que não movimenta milhões mas sustenta seus criadores, apresenta trabalhos de conteúdo, aquelas músicas que vc ouve e fica intrigado em saber como alguém conseguiu fazer aquela maravilha. Aquele mercado que mesmo muito tempo depois ainda vai lembrar daquela música.
Pode até surgir algo bom no meio desse monte de música embaladinha com cores vivas e histeria de meninas de 12 a 15 aninhos...pode mesmo! Não há nada de mau em fazer sucesso, vender muito, arrebatar fãs alucinadas, quem não quer isso né?
O foda é não ter o outro lado. É o acesso ser ainda limitado para tanta gente boa que corre paralelo por aí.
O foda é vc ter que moldar seu trabalho para vender muito...
Mas, otimista de plantão que sou, acho que tudo isso tem tudo prá mudar, pelo menos ser meio a meio...
E aí a internet e a música livre tem seu papel importantíssimo. Ela democratiza o conhecimento de trabalhos autorais que não tem toda a indústria por trás.
Por isso discordo totalmente da afirmação de Bonadio quando fala que música de graça é porcaria.
Disponibilizar o trabalho gratuitamente é uma forma honesta de deixar que o público se manifeste por vontade própria, na minha opinião é a forma mais honesta de colocar o trabalho ao julgamento de quem interessa. E claro que tem muita coisa boa e muita coisa ruim, a diversidade de gostos é algo que foge ao entendimento geral. Mas é honesto: se agrada vão baixar, vão consumir e vão aos shows que é onde o artista realmente ganha diheiro, porque venda de CD independente ou na indústria não faz de nenhum artista um milionário.
Essa discussão rende muito, mas é bom saber que pelo menos hoje ela ganha corpo.

6 comentários:

Daca disse...

O cara se diz produtor e não conhece certos artistas renomados? Não gostar, é outra coisa... E outra, dessas bandas que o cidadão produz, nem se ele deixasse baixar de graça.. A música pra mim, ainda é arte e não um mercado das "explosões instantâneas". Quem forma opinião, tem que ter mais cuidado ao dizer certas coisas pra não falar bobagens..

Márcio Kindermann disse...

Ah...... o cara é um babaca, por isso tanta babaquisse[!!!]
Agora fala sério.... estou de saco cheio de bundas cantantes,
os melhores sons que tenho ouvido ultimamente não estão rolando na mídia.
É isso...
Bj meu
MK

Bleffe disse...

Participe da campanha "Música em troca de Fraldas", que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

Música em troca de Fraldas

Felipe Melo disse...

É, acho que o Daca bateu em um ponto importante, conhecer de tudo um pouco é importante. Até pq ele citou aí bandas como Velvet Underground, que fazem parte de toda aquela turma que criou o cimento, a base musical até 1969 que mais tarde derivou em boa parte do que temos atualmente de estilos.

Não vou me estender muito, pois o Rick Bonadio, ou "creuzebeck"como era conhecido em sua primeira grande produção está equivocado sobre a classe que eu e ele fazemos parte, a dos produtores musicais, e é triste que ele fale de uma posição privilegiada sem o menor conhecimento do que rola além dos canais de massa...

Ah Ligia, que saudades do Tom Capone!

Ligia Gastaldi disse...

Felipe, falasses tudo: saudades do Tom capone!!!!

Vini disse...

Acho que há muita distorção no que ele falou. Virou uma espécie de telefone sem fio.
Ele falou que não é favor de download gratuito, e que isto desvaloriza o trabalho da banda. Disse que é favor do Streaming, que uma maneira de poder-se ouvir a musica gratuitamente pela internet, sem precisar do download.