domingo, 27 de março de 2016

A volta de Daca aos palcos!!!!

 
Foto: Antonio Rossa


No ultimo sábado o público que foi ao Doctor Julio Pub pode assistir a um showzaço de música boa!!! E como é bom! O show foi com Daca e os Faixa Preta. Um momento especial na carreira do Daca: além de comemorar os 20 anos de carreira, marcou a volta desse artista à ativa, mais do que nunca.

Eu sempre fui fã do Daca, antes mesmo de me tornar amiga e hoje "comadre" (fui a "cupida" entre Daca e sua esposa, minha amiga, Lisandra rsrs). Minha admiração sempre foi pela "chatice" musical, ou seja, o cara é detalhista e isso só acontece aos que tem talento de sobra. Qualidade musical. Depois conheci as composições próprias e aí veio mais um motivo para eu admirá-lo: um poeta e tanto! Profundo, às vezes melancólico, mas sempre certeiro nas palavras.

Foto: Antonio Rossa

E para marcar essa volta Daca nos presenteia com o single "Voltas".

"Vai porque é de voltas que se faz
Solta o cabelo voa atrás
Sem querer tragado pelo vento
Se fecho os olhos vejo te alcançar
Não me dê certezas por favor..."

Tá, mas vamos explicar essa "volta" do artista.
Na verdade, Daca nunca deixou de produzir, tocar. Mas desde que se mudou para Joinville, para acompanhar a esposa, Daca havia dado "um tempo" nos palcos. Mas nunca abandonou o música. Trabalhou um tempo na Itapema FM de Joinville. Ciclo na rádio fechado, Daca resolveu voltar para os palcos. E aí entra o papel da esposa Lisandra. Ela juntou todo material riquíssimo do maridão, organizou tudo e juntos pensaram em um site e em uma volta com todo material organizado.
Para chegar chegando, Daca gravou "Voltas" e pronto, temos nosso Daca de volta!

Foto: Antonio Rossa

Junto com ele, uma banda poderosa formada pelos músicos:Adriano Baboo (baixo), Leo Meira (guitarra) e Beto Fonseca (bateria) - Os Faixa Preta. Quem já viu esses caras em ação sabe do que eu estou falando: peso e eficiência.

Na noite de ontem Daca e os Faixa Preta mostraram os dois trabalhos que colocaram na estrada: o show autoral e o Bailinho Faixa Preta com um repertório de Rock na veia.
Foi uma noite linda e com muita gente admirada pela qualidade do trabalho autoral.
Parabéns Daca...volta logo para outros shows!!!

Você pode conhecer todo o trabalho, ouvir músicas curtir fotos lindas do Antônio Rossa(roubei algumas para esta postagem), no site do Daca.  
http://rodrigodaca.com/

Vai lá e dá um "expiada"...é bom demais!








sexta-feira, 18 de março de 2016

Daza 2016 - o abraço do público!


Uma declaração de amor sonora e com aquele calor físico que arrepia até a nuca!
Foi assim o reencontro da banda Dazaranha com seu público após a uma mudança que, como toda mudança, traz perdas, renovação, conquistas e amadurecimento!

"Por onde sair, por onde chegar
O ingresso é ser você mesmo
Vai lá, seja você mesmo"


Antes do show certamente havia um nervosismo no camarim, afinal, a mudança da qual estamos falando é a ausência de Gazu: a voz marcante do Daza, a presença de palco forte nesses mais de 20 anos de banda. Puxar a responsabilidade prá cada um deles, saber se vão dar conta, encarar críticas... é quase um começar de novo e claro que dá medo, ô se dá!

"Raiz que brotar aqui na vila faço chá
aliviando a garganta
Hoje vou cantar coisas da vida"


Mas todo esse liquidificador de sentimentos na velocidade máxima desapareceu nos primeiros acordes de "Com ou Sem". Foi como se aquele John Bull lotado desse um abraço coletivo nos meninos: esse público é de vocês do jeito que for!
Eu, como sempre, grudada no palco vi a emoção no olhar. A apreensão se transformar em leveza, gratidão. A expressão que dizia tudo "caralho...isso aqui é nosso". E é mesmo...vcs fazem parte da historia de muita gente. E eu sempre digo: a energia de um show do Daza é inexplicável.



Nessa nova turnê 2016, o grupo trouxe de volta músicas que tinham sido tiradas do repertório como "Fé menina", "Prá Ficar" e ainda recuperaram músicas antigas como "Mário César" , "Mamica", "Retroprojetor". Arranjos novos com aquele tempero Dazaranha. Chico e Moriel assumiram os vocais e mandaram muito bem. Isso acredito que não tenha sido surpresa prá ninguém que acompanha o Daza porque os dois tem suas carreiras solos e comandam o palco com muita eficiência!!! Os dois juntos trocaram figurinhas muito bem e sempre acompanhados pela voz das centenas de pessoas que lotaram o John Bull.
A música "Preto Vermelho" encerra o show e nunca esteve tão atual, né? "Esse é o país da sacanagem, é o país da putaria"...eita Brasil


Na volta para o Bis a banda chega com versões acústicas para oito músicas. Abrem com "Cama Brasileira" (uma das minhas preferidas dessa turminha), seguida de "Dizem que só", "Vem menino", "Cacumbi" (amo), "Durma Bem", "Padre", "Chevrolet" e "Equilíbrio"(lindaaa).
Depois desse respiram, as guitarras voltam e o show acaba com "Vagabundo Confesso".

Céu que se apaga, se fecha, que assusta
Pode ser seu céu!
Céu que brilha lindo, sem nuvem, sem chuvas


Pode ser seu céu!
Quando o sol se fecha não corra, não fuja
Pode ser seu céu... pode ser seu!



Para quem estava esperando alguma manifestação sobre tudo que aconteceu e que acabou na saída de Gazu, Moriel foi mais uma vez mestre: ele explicou que quando estavam definindo o repertório do show apareceu a dúvida de colocar ou não a música "Ditados", uma música emblemática na voz de Gazu. A decisão foi colocá-la e assim a banda faria a justa homenagem a Gazu que sempre vai ser parte da banda e a quem todos tem o respeito pelo trabalho feito desde o começo da Dazaranha. Reconhecimento feito por todos no palco. O público? bem, mais uma vez deu show...cantou com toda a força junto com a banda em homenagem ao Gazu!
E é esse o recado que fica: respeito!
Cada um deles sabe a dor de uma mudança dessas, cada um sabe e tem seus motivos e todos devem ser respeitados.
Eu sou fã das mudanças. Por mais dor que nos tragam no momento do furacão, tem sempre a brisa da calmaria de um recomeço que chega depois. E sempre vem pra melhorar, para todos os lados.
Nada é por acaso, nada é definitivo, mas tudo tem que ser vivido da melhor forma.
A banda Dazaranha começa o ano com o respiro de um recomeço, assim como Gazu que está em sua carreira solo e também, certamente, está reenergizado!
Sucesso aos dois lados que são um só: o da música!!!

 "Só o amor
Conhece o caminho
Entre você e seus sonhos
Só o amor"


domingo, 22 de novembro de 2015

Orquestra de Baterias em Floripa!


Hoje foi um daqueles dias de chorar de emoção!
Pela terceira vez, a orquestra de baterias é realizada em Florianópolis. E eu, que não sei por que não fui nas duas primeiras, desta vez fui e NUNCA MAIS falto! Que coisa linda, que coisa emocionante.


As duas primeiras vezes em que os bateristas se reuniram foi dentro da Maratona Cultural que este ano não aconteceu, mas músicos e o Instituto Maratona Cultural, resolveram fazer assim mesmo porque isso não pode morrer! E fizeram no amor. Não houve NENHUM apoio financeiro, pelo contrário, tiraram do bolso para conseguir as licenças (e a nossa prefeitura sabe cobrar bem essas licenças). A RA Som comprou a ideia e também foi parceira garantindo o som. Os profissionais Alexei leão, Marcelo Moreira, Richard bondan e Rafael Bastos deram seu trabalho e esforço na organização e o Instituto Maratona Cultural assinou a realização.
E que orgulho dessa galera!



O que se viu hoje à tarde, no largo da Catedral, foi de emocionar. Bateristas de todas as idades chegando de tudo quanto é lado. Aos poucos o público também foi chegando.


Eles interpretaram entre outros: Beatles, Queen, Paul McCartney, Nazareth e Dazaranha (que foi lindooooo demais). Vários músicos participaram como Chico Martins e JC Basañez (Daza), a galera do Brasil Papaya, Gnomo e tantos outros.


Acho que chegou a 100 o número de bateristas presentes. Algumas dezenas a mais haviam se inscrito, mas nem todos cumpriram o compromisso. Perderam.
Quando terminou o público até queria mais, mas era preciso entregar o espaço, afinal, mais tarde tinha missa na catedral.

 
 

Eu saí de lá feliz em ver que quando se quer fazer é possível. Apesar de todos os "senões" e toda a falta de apoio. E é preciso FAZER para poder cobrar.

Parabéns à organização, a todos envolvidos. Foi histórico!

 
 
 
 
 
O Léo Cardoso do DC Online fez uma belíssimo véideo... olha só!
 

Em tempo: durante o evento a PM resolveu lançar mão do seu caderninho de multas e distribuiu várias delas até mesmo para quem estava descarregando as baterias próximo aos Largo da Catedral. Não defendo ilegalidade, muito pelo contrário, mas esse rigor todo não é aplicado no dia a dia e então cadê o bom senso??? Domingo não há trânsito pesado no local, nada estava sendo atrapalhado. Será que não poderiam ter dado licença para estacionar onde não atrapalhasse a circulação de pessoas e carros? Será que um evento como esse não é motivo suficiente?  Bom, mas para uma cidade que recebeu a exposição maravilhosa de Miró e na abertura da mesma nem Prefeito, nem Governador se dignaram a ir, a gente não pode esperar muito. Mas podemos mudar isso.

Em tempo 02: meu blog estava com problema técnico ou sei lá...não estava acessando, mas agora tudo voltou ao normal. Tenho vários assuntos pra colocar em dia da nossa música catarinense...e o farei em breve!





domingo, 4 de outubro de 2015

Lulu Santos e seu Clubelux em Floripa!



Que show!!!
Lulu estava em noite inspirada! Muito bem humorado e feliz. Logo no início ele falou "Estou sentindo que vamos fazer hoje o melhor show que já fizemos em Floripa". E ele acertou!!!


Foram mais de duas horas de show onde ele desfilou toda a sua história musical que fez dele o maior "hitmaker" brasileiro. Não faltou nenhum grande sucesso e olha que ele tem muitos. São músicas com letras que resumem bem os acertos e desacertos do amor. O bem viver e a sabedoria de saber lidar com nossas emoções. Como a Suyanne Quevedo falou prá  mim "vale mais do que mil terapias" e é bem assim. Tenho várias canções do Lulu no meu coração, que me traduzem e me emocionam.



Nessa turnê dele tem ainda mais um motivo para eu amar o show: Milton Guedes de volta ao palco com a banda de Lulu. Milton é um músico fantástico e com uma presença de palco única. Como é bom ver ele tocar!!!


A banda inteira é nota dez e eles tem um astral que nos passa uma alegria incrível, afinal, eles estão ali felizes juntos. Andrea Negreiros, linda, arrasa nos backings e divide o vocal com o Lulu em algumas músicas.


A banda ainda tem Sergio Melo na bateria, Hiroshi Mizutani nos teclados e programação eletrônica, Pedro Augusto nos teclados, Sanny Pitbull - DJ, Jorge Aílton  no baixo e vocais (ele também divide vocais com Lulu), Sílvio Charles - violão, guitarra e percussão e Pretinho da Serrinha na percussão, cavaquinho e cuíca.



Não bastasse as mais de duas horas de show, o bis foi enorme e ali veio o desfile de mais uma carrada de sucessos, por isso digo que não faltou nada. Ele passou também por músicas do trabalho novo, mas Lulu sabe que o público quer mesmo é ouvir aqueles sucessos que fizeram dele um dos maiores compositores do Brasil e ele entregou tudo ao público que lotou o Centro Sul. Mostrou também novas versões para alguns sucessos. Foi lindo demais.

O centro Sul passou por um tratamento acústico que foi aprovadíssimo por Lulu "que bom tocar com som bom, parabéns temos um novo espaço em Floripa".  Foi a primeira vez que vi um show ali depois dessa reforma e realmente fez toda a diferença.
E que bom, assim temos um novo lugar, como disse Lulu, com capacidade para trazer novos shows.

O único ponto a melhorar ali é, prá variar, o estacionamento (mal de quase todos os lugares para shows em Florianópolis). Com a chuva de hj todo mundo que pagou R$30 para colocar o carro, acabou colocando também o pé na lama...lamentável. O preço também é um ponto a se pensar: por quê cobrar R$30 em noite de show se o preço em outros dias é R$15? Isso beira a sacanagem com o público. Poderiam reavaliar.

Mas valeu...muito....ter ido.
Foi uma noite pra lembrar que temos muita música boa, soltar a voz com amigos (Mariana Paniz, Neco Luiz, Paula Borges, Suyanne e Lulu Quevedo e Edmilson Ortiz, cantar e sair de lá recarregada!!!

Obrigada a Estrutura de Comunicação pelo convite. Que venham outros shows de qualidade!!!
E um beijo pra Marta Gomes e Sabine Weiler...muito bom encontrar vcs lá!


quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Dazaranha e Expresso Rural juntinhas no palco!



Um show histórico!!! Simples assim.
Para mim uma emoção única em ver essas duas bandas, que fazem parte da minha história, dividindo o mesmo palco e misturando seus fãs em duas noites de teatro LOTADO!!! Que coisa linda.

Dazaranha completou 23 anos no dia 06 de setembro. No dia 07 eu completei 50...e meus últimos 23 foram acompanhados pelas músicas dessa banda grandiosa. Desde que os vi pela primeira vez, na lagoa, me apaixonei. Era o início da carreira deles e o começo da minha total admiração por esses músicos que sobrevivem a uma relação que tem um segredo para tanto sucesso: o objetivo comum pela música. Não é fácil manter uma relação tão duradoura com tanta gente em jogo. Mas os "aracnídeos" se respeitam, sabem da importância de entender as individualidades, de compreender os vários e diferentes momentos de cada um e seguem ali no palco juntos e com uma energia maravilhosa. Produzindo sempre, tocando sempre e vivendo de música própria!!!!

A banda Expresso eu conheci também no início da carreira através da minha amiga Andréa Lucena, irmã do Daniel. Antes mesmo de eles terem LPs gravados quis o destino que a primeira matéria em jornal sobre eles fosse pelas minhas mãos e de um grupo de amigas. Foi a primeira matéria sobre a banda e a minha primeira investida no jornalismo em uma época que eu nem sonhava em ser jornalista. Sou fã dessa banda que já interrompeu algumas vezes a carreira, mas sempre volta. Não fizeram nada de novo nos últimos anos, mas o que eles tem já é o suficiente para arrastar fãs enlouquecidos em seus shows. Não vivem exclusivamente de música, mas fazem dela o motivo para estarem juntos no palco.

Duas carreiras diferentes, mas iguais na empatia com o público. Para o Daza o orgulho de tocar junto ao Expresso era o de estar tocando com músicos que ajudaram a abrir o caminho para o trabalho autoral em SC.
Para o Expresso o orgulho de estar tocando com o Daza é o de estar ao lado de uma banda grandiosa que permanece no topo, produzindo sempre e de descobrirem o quanto essa turma de manezinhos é tão competente e tão humilde!!!

Para nós, público, o orgulho foi o de ver o teatro lotado, com ingressos sendo disputados. De ver e ouvir tanta música boa e tantos músicos bons juntos. Coração acelerou!!!!


O show começou com o Expresso no palco e aquelas músicas que me fazem voltar ao passado e sentir as mesmas emoções no presente. Tocaram todas as clássicas acompanhados pelo coro incansável da plateia.  



No intervalo entre uma banda e outra o Mané Darci apareceu e dominou aquele teatro cheio. Boas risadas e uma inspiração incrível do Moriel Costa!!!


E aí chega o momento de termos Daza no palco acústico, um formato novo pra banda...e os meninos mal se seguram sentados rsrsrsrs eu já estava pulando na cadeira...


As músicas são um convite a vibração e ficar sentadinha não é fácil!!! E ficaram lindas no formato acústico, já tinha visto na Cervejaria Devassa, mas no teatro é outra história e ficou maravilhoso!!! Mas como fã, se me permitem, acho que vale incluir as músicas "Cama Brasileira" e "Fé menina" nesse formato, que tal meninos????



Dudu Filetti foi o convidado da segunda noite no palco do Daza. E Dudu sempre arrasa!!!


O final foi com as duas bandas no palco e aí foi um delírio coletivo! Daniel dividiu os vocais com Gazu e Chico em Vagabundo Confesso e emocionou. Gazu o chama de "amado mestre" e é isso: Daniel é um amado mestre sim. Como Gazu falou " Daniel nos ensina que nunca devemos desistir de viver".  O principal compositor do Expresso vem enfrentando problemas de saúde, nem sempre está em sua boa forma, mas é uma entidade. Daniel no palco contagia de emoção a plateia!!!

Nos camarins, após o show, rolou bolo pro Daza e uma conclusão coletiva: esse projeto tem que ter repeteco...já estou torcendo!!!


E um salve especial para Heitor Lins e Paula Borges, os irmãos que estão à frente da Harmônica Arte e Entretenimento. Tenho orgulho desses meus amigos que mesmo tendo na lista de shows feitos nomes como Lenine, Zelia Duncan, Tom Zé, Jorge Bem, Skank, Maria Gadu, Fabio Jr., Chitãozinho & Xororó, nunca deixam de apoiar a música catarinense e investir em eventos como foi esse show histórico com Daza e Expresso. E vem mais reunião dos melhores de SC aí...em breve novidades. Obrigada Paula e Heitor por emprestar o profissionalismo de vcs a arte catarinense. Sou amiga e fã!!! E ainda tem a irmã dos dois, a Carla Lins,  e sua assessoria de imprensa Atré, tão competente quanto. ô família abençoada!

Parabéns a todos envolvidos, músicos e bastidores né Galego Sabino, Rafael Breda e cia?
Minhas comemorações de cinquentona tiveram um brilho especial com esse show!!!!!

E até o próximo!!!!



Cárlida, muitooo obrigada pela sua companhia preciosa...nos emocionamos juntas rsrsrsrs


E uma nota importante: minhas fotos são de celular e por isso mesmo muito ruins rsrsrs mas se você quiser ver fotos lindonas vai lá no face e veja as fotos de Maria Victória e do Eduardo Trauer....estão maravilhosas!

domingo, 26 de julho de 2015

Dudu Fileti em seu show autoral!!!!



Finalmente chegou o dia de eu ver Dudu Fileti em um show autoral...e que show!!!!


Eu conheço Dudu há uns 20 anos ou mais, desde a época em que ele cantava na Zawajus, banda de baile. Acabamos nos tornando amigos. Ele e Luana são pessoas mais que especiais. E o Dudu sempre cantando divinamente, cada vez melhor!
Em nossas conversas eu sempre falava "Dudu, tens que ter teu trabalho autoral". E isso finalmente aconteceu e na hora certa.

Dudu participou de duas edições do The Voice. Na primeira vez participou da seleção e chegou lá, mas foi eliminado. Só que a eliminação dele deu tanto bafafá que na edição seguinte a produção o convidou para voltar ao programa. Foi longe, mas foi eliminado antes da final e merecia ter chegado lá.
Mas, independente disso, o The Voice acabou tornando o Dudu querido no Brasil inteiro. 

E o destino acabou fazendo ele encontrar Alegre Correa, um músico fantástico, que tem uma grande responsabilidade nesse primeiro show verdadeiramente autoral. Foi com o Alegre que ele acabou formando o repertório para esse show e está gravando um CD.


E que coisa linda!!!
Ele abre com a música "Amizade", maravilhosa...e o que se segue é um show de música, interpretação, letras fantásticas e um banho de sentimento na alma. "Pepe" é lindaaaa... "Rio Vermelho", "Estrela Cadente", "Quebra Cabeça", "Vai fazendo", "Senhora das cabeças", "Zamba Zumbi", "Quero Ouvir o verde" e "Pequeno Cigano". São 10 composições autorais e  no Bis "Trem das Onze" com um arranjo e interpretação únicos.


A banda é formada por Moisés Catarina no baixo, Diego Nunes na guitarra e Narciso Farias na bateria. Maravilhosa... Todos tem espaço para brilhar com sua competência.

Dudu está impecável. Em algumas interpretações o microfone é deixado de lado dada a potência da voz do moço.


Saí de lá flutuando e muito feliz porque quem conhece Dudu sabe que ele é um artista no sentido mais puro dessa palavra. Uma pessoa mais que especial e que tenho orgulho de ter entre meus amigos.

Dudu...Sucesso você já tem porque és iluminado. Então te desejo muita sorte nessa caminhada!



Parabéns a toda equipe: Heitor que estava na iluminação (arrasou), Paula na produção, Carlinha na assessoria e um salve ao Ryoolk Chenlin que é o melhor técnico de som que conheço e hoje também fez toda a diferença.

E parabéns com louvor ao SESC por apoiar e abrir espaço a arte catarinense!

Agora, Dudu,  vou te falar: "Dudu, tens que lançar o CD" rsrsrsrsrs



domingo, 21 de junho de 2015

Roupa Nova em Biguaçu!




Depois de quase 10 anos, fui ver novamente o grupo Roupa Nova. A ultima vez que os vi foi no teatro do CIC, desta vez foi no Centro de Eventos Petry, em Biguaçu.

Bom, o Roupa Nova faz parte da historia da minha vida e foi graças a uma dica do Serginho, baterista, que me tornei jornalista. Acho até que já contei essa historia, mas vou repetir de forma reduzida.
Lá pelos anos 80, eu e mais umas amigas (nos conhecemos em filas de shows) tínhamos a mesma vontade: conhecer os nossos ídolos sem aquele clima de camarim, tietagem etc... a gente queria conversar com eles. Éramos fãs do 14 Bis, A Cor do Som, Pepeu e Baby etc... e claro, do Roupa Nova. Então bolamos um plano que na época deu muito certo: marcávamos conversas com eles no hotel. A gente ligava pra todos hotéis até descobrir onde estavam hospedados. E dava muito certo(hj, mesmo profissionalmente, é difícil conseguir entrevista). A gente dizia que era pra trabalho de escola rsrsrs Bom, no papo com o Roupa Nova, no hall do Floph, estavam ali os 6 meninos muito simpáticos e a conversa foi maravilhosa a ponto de uma hora os papeis se inverterem e eles começarem a nos fazer perguntas. Obviamente, sacaram que éramos mais fãs do que entrevistadoras. Até que o Serginho perguntou o que iríamos fazer de faculdade e eu prontamente falei: vou ser bioquímica ( oi???) sim era esse meu plano rsrsrsrs. Quando falei isso o Serginho me olhou e falou: menina, você tem que ser jornalista. Você é que a mais perguntou aqui e entende da música brasileira. Tem que escrever sobre isso. Bingo! Me lembro que fui pra casa com aquilo na cabeça, fui até a UFSC ( na época não tinha internet) e peguei um livrinho dos cursos. Descobri que no curso de jornalismo não tinha matemática, química e nem física(e isso que eu queria ser bioquímica, né?) e aí não tive dúvidas: vou fazer jornalismo e aqui estou eu exercendo essa profissão que eu amo, há 30 anos!
Então, dá pra imaginar que esse grupo realmente marcou minha vida!


Fui para o show hoje pronta pra me emocionar. Mas....me emocionei bem menos do que esperava. Primeiro porque o local do show não era propício para muitas emoções. O Centro de Eventos Petry é uma belíssima casa, enorme, organizada, mas é uma casa pra balada. O show começa tarde com serviço de bar e cozinha. E tem muita gente que bebe muitoooo e fica berrando coisas desconexas durante o show além daquele transitar infernal... Você pode assistir ao show em mesas e camarotes distantes do palco ou na pista...eu sempre prefiro a pista. Então, o show é um detalhe e a barulheira acaba tirando um pouco da concentração.
Segundo porque o show do Roupa Nova virou algo mega. Eles são perfeitos, até demais. Eu prefiro aquela música orgânica, mais crua. Neste show eles comemoram 35 anos de carreira e uma carreira vitoriosa. Viraram uma indústria, uma empresa onde tudo funciona em torno da marca Roupa Nova.
Durante o show tem o momento de vender canecas e camisetas, tem o momento de lembrar que eles são os autores de jingles e temas e eles lembraram os mais marcantes, como o tema da vitória ( música do Sena), abertura do vídeo show, as bases das músicas da Xuxa e por aí vai. Também colocaram o Padre Fábio no telão cantando com eles um tema pela paz e em alguns momentos o Nando, baixista, era o mestre de cerimônia que pedia aplausos, deu discursos, uma coisa meio programa de auditório. Dispensaria essa parte. Também dispensaria umas músicas onde no telão aparecia imagens do novo DVD que eles gravaram a bordo de um cruzeiro com letras fraquíssimas. Mas é um belíssimo show, sem dúvida, só que eu achei tudo meio mecânico demais.
No entanto, houve pontos altos: Milton Nascimento no telão cantando com eles Nos Bailes da Vida e a interpretação de sucessos que eu amo como "A Força do Amor"(uma das músicas que mais gosto deles), Anjo, Trem Azul, Sapato Velho (que abriu o show), Dona e a fatídica "Coração Pirata".



Foi muito bom vê-los.  Eu, particularmente, prefiro o teatro, onde só a música interessa. O show buzines fica um pouco de fora.
Saudades mesmo eu tenho da época de Lumiar, Sábado, Fora do ar...mas isso é nostalgia minha. Eles tem que olhar adiante e seguir com novas músicas afinal, não é à toa que estão completando 35 anos.
Tenho que agradecer a Eveline e a Raquel que botaram pilha pra eu ir. A Ju, da Alvo Comunicação, pelo convite.
Foi bom ver aqueles meninos, agora senhores, mais uma vez! Mas o próximo espero poder vê-los em um teatro, não sei se isso vai acontecer porque eles estão em outra "vibe", mas quem sabe né?