domingo, 26 de julho de 2015

Dudu Fileti em seu show autoral!!!!



Finalmente chegou o dia de eu ver Dudu Fileti em um show autoral...e que show!!!!


Eu conheço Dudu há uns 20 anos ou mais, desde a época em que ele cantava na Zawajus, banda de baile. Acabamos nos tornando amigos. Ele e Luana são pessoas mais que especiais. E o Dudu sempre cantando divinamente, cada vez melhor!
Em nossas conversas eu sempre falava "Dudu, tens que ter teu trabalho autoral". E isso finalmente aconteceu e na hora certa.

Dudu participou de duas edições do The Voice. Na primeira vez participou da seleção e chegou lá, mas foi eliminado. Só que a eliminação dele deu tanto bafafá que na edição seguinte a produção o convidou para voltar ao programa. Foi longe, mas foi eliminado antes da final e merecia ter chegado lá.
Mas, independente disso, o The Voice acabou tornando o Dudu querido no Brasil inteiro. 

E o destino acabou fazendo ele encontrar Alegre Correa, um músico fantástico, que tem uma grande responsabilidade nesse primeiro show verdadeiramente autoral. Foi com o Alegre que ele acabou formando o repertório para esse show e está gravando um CD.


E que coisa linda!!!
Ele abre com a música "Amizade", maravilhosa...e o que se segue é um show de música, interpretação, letras fantásticas e um banho de sentimento na alma. "Pepe" é lindaaaa... "Rio Vermelho", "Estrela Cadente", "Quebra Cabeça", "Vai fazendo", "Senhora das cabeças", "Zamba Zumbi", "Quero Ouvir o verde" e "Pequeno Cigano". São 10 composições autorais e  no Bis "Trem das Onze" com um arranjo e interpretação únicos.


A banda é formada por Moisés Catarina no baixo, Diego Nunes na guitarra e Narciso Farias na bateria. Maravilhosa... Todos tem espaço para brilhar com sua competência.

Dudu está impecável. Em algumas interpretações o microfone é deixado de lado dada a potência da voz do moço.


Saí de lá flutuando e muito feliz porque quem conhece Dudu sabe que ele é um artista no sentido mais puro dessa palavra. Uma pessoa mais que especial e que tenho orgulho de ter entre meus amigos.

Dudu...Sucesso você já tem porque és iluminado. Então te desejo muita sorte nessa caminhada!



Parabéns a toda equipe: Heitor que estava na iluminação (arrasou), Paula na produção, Carlinha na assessoria e um salve ao Ryoolk Chenlin que é o melhor técnico de som que conheço e hoje também fez toda a diferença.

E parabéns com louvor ao SESC por apoiar e abrir espaço a arte catarinense!

Agora, Dudu,  vou te falar: "Dudu, tens que lançar o CD" rsrsrsrsrs



domingo, 21 de junho de 2015

Roupa Nova em Biguaçu!




Depois de quase 10 anos, fui ver novamente o grupo Roupa Nova. A ultima vez que os vi foi no teatro do CIC, desta vez foi no Centro de Eventos Petry, em Biguaçu.

Bom, o Roupa Nova faz parte da historia da minha vida e foi graças a uma dica do Serginho, baterista, que me tornei jornalista. Acho até que já contei essa historia, mas vou repetir de forma reduzida.
Lá pelos anos 80, eu e mais umas amigas (nos conhecemos em filas de shows) tínhamos a mesma vontade: conhecer os nossos ídolos sem aquele clima de camarim, tietagem etc... a gente queria conversar com eles. Éramos fãs do 14 Bis, A Cor do Som, Pepeu e Baby etc... e claro, do Roupa Nova. Então bolamos um plano que na época deu muito certo: marcávamos conversas com eles no hotel. A gente ligava pra todos hotéis até descobrir onde estavam hospedados. E dava muito certo(hj, mesmo profissionalmente, é difícil conseguir entrevista). A gente dizia que era pra trabalho de escola rsrsrs Bom, no papo com o Roupa Nova, no hall do Floph, estavam ali os 6 meninos muito simpáticos e a conversa foi maravilhosa a ponto de uma hora os papeis se inverterem e eles começarem a nos fazer perguntas. Obviamente, sacaram que éramos mais fãs do que entrevistadoras. Até que o Serginho perguntou o que iríamos fazer de faculdade e eu prontamente falei: vou ser bioquímica ( oi???) sim era esse meu plano rsrsrsrs. Quando falei isso o Serginho me olhou e falou: menina, você tem que ser jornalista. Você é que a mais perguntou aqui e entende da música brasileira. Tem que escrever sobre isso. Bingo! Me lembro que fui pra casa com aquilo na cabeça, fui até a UFSC ( na época não tinha internet) e peguei um livrinho dos cursos. Descobri que no curso de jornalismo não tinha matemática, química e nem física(e isso que eu queria ser bioquímica, né?) e aí não tive dúvidas: vou fazer jornalismo e aqui estou eu exercendo essa profissão que eu amo, há 30 anos!
Então, dá pra imaginar que esse grupo realmente marcou minha vida!


Fui para o show hoje pronta pra me emocionar. Mas....me emocionei bem menos do que esperava. Primeiro porque o local do show não era propício para muitas emoções. O Centro de Eventos Petry é uma belíssima casa, enorme, organizada, mas é uma casa pra balada. O show começa tarde com serviço de bar e cozinha. E tem muita gente que bebe muitoooo e fica berrando coisas desconexas durante o show além daquele transitar infernal... Você pode assistir ao show em mesas e camarotes distantes do palco ou na pista...eu sempre prefiro a pista. Então, o show é um detalhe e a barulheira acaba tirando um pouco da concentração.
Segundo porque o show do Roupa Nova virou algo mega. Eles são perfeitos, até demais. Eu prefiro aquela música orgânica, mais crua. Neste show eles comemoram 35 anos de carreira e uma carreira vitoriosa. Viraram uma indústria, uma empresa onde tudo funciona em torno da marca Roupa Nova.
Durante o show tem o momento de vender canecas e camisetas, tem o momento de lembrar que eles são os autores de jingles e temas e eles lembraram os mais marcantes, como o tema da vitória ( música do Sena), abertura do vídeo show, as bases das músicas da Xuxa e por aí vai. Também colocaram o Padre Fábio no telão cantando com eles um tema pela paz e em alguns momentos o Nando, baixista, era o mestre de cerimônia que pedia aplausos, deu discursos, uma coisa meio programa de auditório. Dispensaria essa parte. Também dispensaria umas músicas onde no telão aparecia imagens do novo DVD que eles gravaram a bordo de um cruzeiro com letras fraquíssimas. Mas é um belíssimo show, sem dúvida, só que eu achei tudo meio mecânico demais.
No entanto, houve pontos altos: Milton Nascimento no telão cantando com eles Nos Bailes da Vida e a interpretação de sucessos que eu amo como "A Força do Amor"(uma das músicas que mais gosto deles), Anjo, Trem Azul, Sapato Velho (que abriu o show), Dona e a fatídica "Coração Pirata".



Foi muito bom vê-los.  Eu, particularmente, prefiro o teatro, onde só a música interessa. O show buzines fica um pouco de fora.
Saudades mesmo eu tenho da época de Lumiar, Sábado, Fora do ar...mas isso é nostalgia minha. Eles tem que olhar adiante e seguir com novas músicas afinal, não é à toa que estão completando 35 anos.
Tenho que agradecer a Eveline e a Raquel que botaram pilha pra eu ir. A Ju, da Alvo Comunicação, pelo convite.
Foi bom ver aqueles meninos, agora senhores, mais uma vez! Mas o próximo espero poder vê-los em um teatro, não sei se isso vai acontecer porque eles estão em outra "vibe", mas quem sabe né?


domingo, 17 de maio de 2015

Romance Volume II - Agora Vai!! Com Marisa Orth em Floripa!!!




Fui assistir a peça da Marisa Orth sem saber ao certo o que iria acontecer. sabia que ía ter música e comédia.
Quando o espetáculo começou fiquei emocionada: Marisa Orth cantando maravilhosamente bem e acompanhada por uma banda fodástica!
Eu já conhecia o lado cantora da atriz desde a época da banda "Vexame", que era maravilhosa, mas ela consegue estar ainda melhor e com a companhia de músicos maravilhosos: Xuxa Levy (teclados), Carneiro Sândalo (bateria), Hugo Hori (sopros), Marcos Camarano (guitarra) e Paulo Bira (baixo).


A peça é uma combinação de repertório musical e um texto leve e muito bem humorado de um assunto que une todo mundo: as relações amorosas. Situações que a gente vive e repete...repete...repete e quando acha que aprendeu...repete tudo de novo. E por isso esse assunto dá muito certo. O texto engraçadíssimo é de autoria de Marisa em parceria com Tete Martinho e Juliana Rosenthal. A direção é de Natália Barros, comadre de Marisa e autora junto com ela de algumas músicas da peça.


A apresentação deste sábado em Florianópolis estreou o novo cenário de "Romance Volume III - Agora vai". Ficou lindo. teve o primeiro teste da cama em cena. Ficou perfeito e a interpretação da Marisa é irretocável.


Que peça gostosa!!! Que repertório musical fantástico: vai de Roberto Carlos, Secos & Molhados, Marina Lima até Marcio Greyck, Calcinha Preta e ainda composições próprias. Tudo executado primorosamente por músicos maravilhosos.


No final do espetáculo a atriz faz um bate papo com a plateia. Fica quem quer saber um pouco mais da peça e deste trabalho. Eu fiquei para pedir que gravem um CD com o repertório e, primeiro ela ficou meio em dúvida, patrocínio...tempo, mas logo os músicos falaram e tive a resposta que eu queria "sim vamos gravar"! Uhuuuu


Para quem ainda não viu e está em Floripa, tem mais uma chance no domingo às 19:30. E digo: vale muitoooooo!!!


Isabela Hoffmann, obrigada por insistir e pelo convite. Saí de lá leve e muito feliz!!!

terça-feira, 21 de abril de 2015

KISS e seus 40 anos em Florianópolis

               
 

Que show!!!
Prá mim, a realização de um sonho!!


Quando eu era criança ainda, morando em Concórdia, meus irmãos Marco (já falecido) e Juliano costumavam ouvir música "a todo volume". Meu pai dizia:  "vocês vão ficar surdos" rsrsrsrs mas as tardes (a gente estudava de manhã) lá em casa era de música "a todo volume". Eu ainda curtia as músicas de trilha de novelas, mas o Marco e o Juliano já estavam na fase rock na veia!!!
Na vitrola ecoavam os vinis do Nazareth, Sweet Fanny Adams, Iron Maden e eles: o Kiss!!!
Eu me apaixonei de cara pelo Kiss. As caras pintadas me chamaram atenção, principalmente o homem da estrela, Paul Stanley. Paixão!!! E conhecendo as músicas fiquei muito fã. Foram eles que me introduziram ao Rock!!!
Lembro do show que fizeram no Maracanã e que vi pela TV...era um sonho ver esses caras ao vivo.
Para minha total surpresa, no fim do ano passado, fiquei sabendo que viriam para Floripa!!! Inacreditável!
Por isso, hoje, quando o show começou fiquei hipnotizada.



Fui pra Pachá duas horas antes, mas a galera da pista VIP só pode entrar em cima da hora por problemas na montagem do palco. Quando enfim, eu Gustavo e Fabiano conseguimos colocar os pés dentro da Pachá o telão abre e mostra os caras, ELES, vindo em direção ao palco. Caraca!!!! E eu estava lá!



Durante o show eu variei entre pular e berrar e ficar ali parada olhando os detalhes daquele show incrível. Minha adolescência ali na minha frente.
Foi tão bom que passou rápido demais...queria tudo de novo!!



Que banda! Que performance! Que som!
E o homem estrela ali no palco, com suas dancinhas e charme rsrsrsrs (sim as máscaras disfarçam o tempo).



Só não foi melhor porque graças a falta de estrutura e espaço eles não puderam fazer todos os efeitos que teriam o show. Paul não pode voar...sniff... O que eles conseguiram fazer foi subir a bateria e leva-la para o alto...ahh e o Gene Simmons cuspiu fogo e sangue, fake, é claro. São detalhes que fizeram da banda Kiss, uma banda única.



Eles foram impecáveis.
Valeu cada segundo!!! E aproveito para agradecer a Koi Comunicação que teve um atendimento impecável na assessoria. A gente sabe que show internacional é cheio de "nãos", mas conseguimos registrar o show! Obrigada Rafael e Rejane!!!

O único ponto negativo da noite foi o estacionamento da Pachá, problema que já é histórico: você paga R$30 ou R$50 para por o pé na lama, hoje mesmo, entrei no show com os pés enxaguados de lama. Um absurdo se pensarmos que com tanto que arrecadam ali, já poderiam ter melhorado aquela situação.
Falta organização na saída quando pedestres e carros se misturam em uma debandada desorganizada e esquizofrênica. Um perigo. Eu, assim que terminou o show, mal disse tchau pra turma e saí correndo pra não pegar tanta fila. Vamos melhorar isso Grupo Pachá! O público merece!

Hoje também teve um atraso de 2 horas na abertura do acesso a pista VIP. Tivemos várias versões:
1 - o palco teve que ser montado às pressas porque ontem teve festa na pachá e só liberaram para a produção hj. Como os equipamentos estavam na pista VIP, quem pagou mais caro esperou mais na fila e na chuva.
2 - a produção atrasou porque tentou viabilizar o vôo do Paul Stanley com um equipamento menor. O original não cabia na estrutura. Mas não foi possível.
Seja qual tenha sido o motivo de fato, o problema é falta de espaço para shows em Floripa. E aí não é culpa da Pachá, eles suprem uma carência, mas com estrutura limitada para grandes shows. Meu sonho é ver Floripa com um lugar bom para esse tipo de show. Com estacionamento decente e entrada também decente, porque milhares de pessoas passarem em um portão pequeno também provoca filas em uma situação de atraso como a de hoje.

Mas o fato é que começa o show e a gente esquece de todo o perrengue.
E aí um ponto mega positivo para shows internacionais: começam na hora, e essa hora é cedo! Ao contrário dos shows nacionais que anunciam às 10 e entram no palco de madrugada.
Bem que podiam copiar os gringos, né?

Saí de lá, mesmo com os pés molhados, com a alma lavada, mas aí não foi de lama, foi de emoção e prazer de ver uma música tão boa levar o público ao delírio.
Rock'nRoll all night...forever!!!!

O próximo grande show será Aerosmith! Se chover a dica é ir de galocha...mas infelizmente não dá pra perder esse tipo de show.

Salve Kiss!!!!


 
 




quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Cássia - o documentário!!!





Ontem fui assistir ao Documentário sobre Cassia Eller, de Henrique Fontenelle. Um trabalho espetacular que reuniu imagens de arquivo e, principalmente, imagens do acervo pessoal de Cássia, com depoimentos das pessoas que mais conviveram com Cássia.



Henrique conseguiu mostrar os dois lados de Cássia: a menina meiga e tímida e o monstro que subia nos palco e dominava o ambiente com aquela voz abençoada e uma postura que podia até assustar os menos avisados.




Eu tive a oportunidade de ver alguns shows dessa cantora fantástica. A vi com banda e também com o  show com três violões. Era sempre uma experiência única. Em um deles, ela foi dar entrevista ao Jornal do Almoço, jornal do qual eu era repórter. Lembro que cheguei na TV e encontrei Cássia no corredor, perto da porta do estúdio, encostada na parede esperando a hora de entrar. Imagina, eu diante de uma artista que eu admirava demais. Na época, não tínhamos as câmeras digitais e tal...e essa questão de autógrafo eu só pegava nos cds ou discos...(nunca me fez muito sentido um pedaço de papel com o nome da pessoa rsrsrs).  Como não tinha nem câmera, nem CD para ela autografar resolvi só chegar perto e dizer o quanto me fazia bem ouví-la. Ela recebeu o elogio de uma forma muito tímida, como se eu estivesse exagerando, imagina! Conversei um pouco com ela...ela falou que estava nervosa porque não gostava muito dessa coisa de entrevista... enfim, foi um breve papo. Mas fiquei impressionada com a timidez e com o jeito moleca dela. A noite fui no show, que foi numa antiga fábrica, no Saco dos Limões, e la´estava a Cássia "endemonhada"...com os seios de fora rsrsrs 
O Documentário mostra muito bem isso...o quanto ela era doce, amorosa nos bastidores e uma explosão no palco. Mostra também que ela realmente não gostava de dar entrevistas...e ouvindo as perguntas eu fico pensando: é foda mesmo. Sempre as mesmas perguntas...algumas uma verdadeira viagem, outras que mais parecem um texto de comédia rsrsrs como repórter sei que em muitos casos a gente não foge do famoso: como vai  ser o show hoje?  Mas alguns colegas se puxam na criatividade! Enfim... E tem também a discussão de um lado que eu abomino no jornalismo: a mania de ignorar a história de um artista em nome de uma manchete do tipo "morreu por overdose".  Ok, se foi por drogas ou não, e aí? Isso não poderia ser maior que a historia artística, do legado deixado por ela. Mas como bem disse Zélia Duncan: "tem quem consome,né?" E enquanto esse tipo de abordagem vender... é o que vamos ter.




A vida amorosa de Cássia e como ela administrava seus amores está ali...em, meio a triângulos amorosos, aventuras, Maria Eugênia sempre esteve ali, ao lado de Cássia. 




A amizade linda com Nando Reis. Aliás, Nando fala de Cássia com tanto carinho no olhar que aí a gente entende como uma música como "All Star" nos toca tanto: É o reflexo dessa amizade, de um sentimento simples, verdadeiro, livre e leve coberto com tanto amor.




O filme termina mostrando que, até depois da morte, Cássia contribuiu para a quebra de tabus. Seu filho, Chicão, ficou com a companheira de Cássia, Maria Eugênia, em uma decisão inédita da justiça brasileira. O Pai de Cássia, numa atitude oportunista, entrou com pedido de guarda no neto, mas estava de olho na herança de Cássia. A justiça deixou o filho com a mãe Maria Eugênia.




Chicão aparece dando seu depoimento e é a cópia fiel de Cássia: seu jeito, sua maneira de falar! É impressionante.

Pra quem é fã da nossa música e da Cássia, o documentário é imperdível!

Parabéns Henrique Fontenelle e equipe!!! E Obrigada por deixar essa historia registrada e  bem contada!

[fotos:divulgação]

Deixo aqui um trailler!






domingo, 4 de janeiro de 2015

2014 : eu sobreviví!!!! Um retrospectiva fotográfica!!!



Sim, essa é uma expressão que a gente adotou na redação, eu e Isadora, mais precisamente, rsrsrsrs porque vimos tantas coisas acontecerem, tantas perdas, tanta mudança, minha nossa! Que ano!!!

Prá mim 2014 não foi de todo mal, mas não foi "O" ano.... me surpreendeu pela carga que ele trouxe. Por tanta discussões acirradas em redes sociais, pela frustração na Copa (eu torço sempre pelo Brasil), pela perda de jornalistas e artistas que partiram, assim, de repente.

Da minha parte fiz ele acontecer na profissão e pessoalmente amadureci outro tanto. Passou...foi!

Agora vem 2015, um ano ímpar e eu amo números ímpares, talvez porque eu tenha nascido em um deles(7). E de novo estou aqui traçando minhas metas e tendo a certeza que será um ano melhor!!!

O ano dos meus 50...uhuuu...sim, 50 aninhos!!! Minha nossa, a carga dessa idade para uns é pesadona, mas prá mim é muito leve porque me sinto mais jovem do que nunca, com uma sabedoria gigantesca e com espaço para mais aprendizado sempre!!! Defini que será meu ano da Coruja....sabedoria, misteriosa, alí...parada...noturna... e porque acho que vai ser o meu ano da coruja? Não sei, é só uma intuição.

Sei que vem coisa boa por aí...

Do ano que passou guardo as boas lembranças do maior tesouro que cultivo na minha vida: AMIZADE.

Comecei o ano rodeada por eles!

JANEIRO

 
 
Redação no plantão do fim de ano 2013/2014
 
 
Muito sol e praia
 
 
Curtindo a cultura da minha ilha
 
 
 
 
Descobri a zumba...ô coisa boaaaaa
 


 
 
FEVEREIRO
 
 

 
Muita praia
 
 
Amigos
 
 
Comemorar o niver da amiga Sonia Campos
 

 
MARÇO
 
Cobertura carnaval 2014...a gente sempre entra no clima
 
 
 
Março foi pra passear com a família
 
 
 
Sair por aí bebendo umas e outras
 
 
Meus felinos sempre comigo
 
 
 
ABRIL
 
 
Encontro das Juanitas
 
 
Muita Praia
 


  Teatro

 
MAIO
 
Começou assim nosso maio
 




 
 
Muito aprendizado na culinária funcional
Tive a honra de fazer o texto de abertura da exposição do Eduardo Trauer sobre a banda Expresso Rural
 
 
 
 
Muitas comemorações com amigos

 
Plantãozinho básico
 


Niver do Mário Gomes
 
 
Foi o mês que vi esse catarinense de coração, Igor, vencer o Iron Man...meu total respeito!!!
 
 
 
E deu muita praia
 
 
JUNHO
 
 Entramos no clima da Copa
 
 
 
Tudo conspirava #sqn rsrsrsrs
 

 
E a ilha dando show ... sempre
 



 
E meus felinos também!!!
 

 
JULHO
 
Continuamos no clima...fizemos a nossa parte rsrsrs
 

 
Mas restou ver a Alemanha fazer bonito!!!

 
Voltei a correr

 
Participei de um debate sobre música catarinense


 
Nos despedimos da Jô Pires que rumou para sampa


 
Curtimos muitos shows do daza

 
E vimos a explosão do "Táca-le pau" rsrsrs

 
AGOSTO
 
 Conheci o trabalho da escola de cães guia ... apaixonante
 
 
Vi o Daza lançando trabalho novo

 
 
Reencontrei a Juliana
 
 
Deu Praia
 
 
Vimos o Jornal do Almoço ser premiado pela ADVB
 
 
 
E comemoramos muitoooo


 
 
E Floripa dando show no friozinho

 
SETEMBRO
 
 
 Comemorei meu niver no niver da Sarah!
  
 


 
Fundamos a Confraria Funcional!

 
E começaram os debates para as eleições 2014


Saímos por aí...



 
OUTUBRO
 
Mais um prêmio
 
 
Mais Floripa
 
Mais aprendizado
 
NOVEMBRO
 
Foi o mês que batizei essa coisa fofa do Davi! Maior presente de 2014!!! Obrigada Soninha e Alessandro pela confiança!!!
 
 
 
 
Jornal do Almoço comemorou niver e executamos o Compromisso JA.
Comprometimento com a comunidade, jornalismo que dá orgulho!!!
 
 
Os churras na piscina estão de volta!!!
 
 
Conheci o gato Mamado
 
 
 
Praia..sempre ela!!!
 
 
DEZEMBRO
 
 Nos jogamos no show do Chitãozinho & Xororó
 
 
 
 
Comemoramos as vitórias da ação do Jornal do Almoço com quem procura seus parentes desaparecidos, unindo forças com essa gente toda!
 
 
 
 
Foi o mês dos amigos Secretos
 
 
 
De trabalho árduo à beira mar
 
 
De comemorar o niver da talita no melhor lugar do mundo: à beira mar!
 


 
 
 
De Natal em família
 
 
De turistar com a família
 
 
 
 
De comemorar o ano com amigos mais que especiais
 
 
 
 
E de fechar com chave de ouro curtindo de novo um show da Aerocirco
 


 

 
E sempre com eles
 
 
 
 
É...da minha parte não tenho do que reclamar!!! Vamos a 2015 então....