domingo, 2 de maio de 2010


Acabei de ler o livro "Magical Mystery Tours" de Tony Bramwell.
Tony era amigo de infância dos meninos dos Beatles, o livro fala não só dos Beatles mas também da cena musical da época.
O surgimento de grandes nomes, histórias curiosas, engraçadas e algumas tristes!
O que mais gostei foi da visão de Tony para tudo que aconteceu. Não é um fã falando de Paul, George, Ringo e John e outras estrelas: é um amigo falando com a visão de quem estava no meio daquela história toda.
Tony é fã de música e na adolescência trocava discos com George e Paul. Acabou trabalhando para Brian Epstein, que tinha uma loja de discos em Liverpool, se tornando amigo e braço direito de Brian.
Viu a transformação provocada pelo sucesso dos Beatles que tiveram vários "nãos" até conseguirem gravadora e alguém que apostasse na música do "Fab Four". Também relatou o amadorismo como tudo era feito: divulgação, gravação...todos aprenderam por conta própria porque na época não havia em que se espelhar. A falta de experiência de Brian Epstein, que se tornou o empresário dos Beatles, fez a banda deixar de ganhar muitos e muitos milhões de dólares em negociações empreseriais mal feitas.


Mas mesmo perdendo muito dinheiro, ficaram ricos!
A mudança de padrão de vida, a loucura dos fãs, o envolvimento com drogas, o surgimento da Apple ... fatos curiosos como as fãs que pulavam o muro da casa de Paul e invadiam sua casa. Ele passou a tratá-las como amigas e adorava o assédio!!!
Quando estavam procurando talentos para serem lançados pela gravadora ele relata:
 (...)Na época, Peter Asher e eu tinhamos pequenos escritórios, um do lado do outro bem no alto do prédio, bem fora do tumulto e loucura geral daquele lugar. Peter era encarregado de A&R(artista e repertório) e eu era encarregado da Promo/Appel Films. As pessoas não chegavam até nós antes de passar por vários outros lugares, (...) Naquele dia Peter devia estar de bom humor, ou entendiado, porque quando ligaram lá de baixo avisando que havia um artista especial dos Estados Unidos querendo uma audição, ele disse, "Tudo bem, mande subir". Logo depois ouvi Peter dizer: "E o que você faz?".
James Taylor simplesmente sentou-se no chão e cantou uma bela música. "The way she moves...forever..." (...) James usava calças Levis, uma camisa preta e uma versão grega de sandálias, com solas de borracha de pneu. Mas tinha um belo violão (...) Eu olhei para Peter, minha expressão dizia, "Ele é bom não é?" peter levantou-se e foi até as escadas.
Tem algum Beatle por aí?" Gritou escada abaixo.
Por acaso Paul estava por ali e veio correndo. James tocou mais algumas músicas e foi imediatamente contratado para gravar um LP Intitulado James Taylor.(...)
O livro também fala de artistas como The Who, Roling Stones, Roxy Music e muitos outros!!!
E é claro que relata acontecimentos da vida pessoal como o surgimento de Yoko na vida de John e a relação de dependência total daquele jovem até então rebelde indomável.
E a visão de Tony Bramwell para Yoko é que ela representava uma energia negra (como as roupas que vestia). Um amor estranho e claustrofóbico que acabou gerando o afastamento de John dos amigos. Um isolamento absurdo. As gravações com Yoko grudada nas pernas de John, o incômodo que isso representava a todos. O controle dela para tudo que John falava. Loucura!
Tony escreve que uma semana antes de John se assassinado, o músico tentou falar com Tony, mas não conseguiram conversar. Veio a saber depois que ele havia comentado com a família que queria voltar para perto dos meio irmãos e de Mimi que foi quem criou John. Queria abandonar Yoko...mas não teve tempo.
Relata ainda o lado ciumento de George, o casamento divertido de Ringo e o encontro de Paul com Linda.
Para quem gosta de música e leitura recomendo...muito bom viajar no tempo de saber um pouco como as coisas aconteciam naquela época!!!

Nenhum comentário: