sábado, 24 de setembro de 2016

Afinando as Rezas com Dazaranha!



                        
"Se navegar chegou, deixa navegar
  Chegou deixa chegar"- [Afinar as Rezas]

Duas noites de reza... duas noites de emoção, sorrisos e movimento. Duas noites que deu o recado: tem muito mais Dazaranha prá viver ainda!!!


       "Tem no caminho que te leva ao sol
        Entre becos e ruas, esquinas escuras
        Um feixe de luz
        Tem porções, tem milagres" [Espero - J.C Basañez]
                      

Na primeira noite cheguei uns 15 minutos antes das 21h e a fila para entrar no Tatro já estava no hall de entrada... coisa linda de ser ver.


No teatro, a tela que está na capa do CD esperava o público em um palco iluminado para a noite.
Aos poucos os público se acomodou e atrás de mim estava um casal cantarolando as novas músicas... e esse é o espírito dos fãs: fazer parte do show dessa raça manezinha.

Helton Luiz fez as honras da casa e os meninos entraram no palco... aí foi aquele abraço na alma que só os nossos queridos "aracnídeos" sabem dar com todas as suas pernas . Já na segunda música o público levantou e não sentou mais, até o final.


Eu estava no meio da plateia do teatro, e me aguentei ali até começar "Cama Brasileira" com uma dedicatória linda do Moriel. Eu costumo dizer que de todas as lindas canções Dazaranha, essa é a minha música, não sei o por quê, não dá prá explicar, mas ela sempre me emociona. Acho uma das letras mais lindas que o Moriel já fez na vida. E agora ela está no repertório do show...em uma versão acústica linda!


Bom, aí desci e fiquei lá no lugar que sempre fico nos shows do Daza: no gargarejo. É assim há 25 anos, desde que vi esses caras pela primeira vez. E aí, como fã e jornalista de cultura, acabei conhecendo eles, criando uma amizade recheada de admiração  pela simplicidade e carinho que eles têm aos fãs.



Afinar as Rezas é o resultado de um momento de mudanças na caminhada. Foi o CD mais rápido em termos de produção. Escolheram o repertório, ensaiaram as músicas novas em uma rotina dura de trabalho na caixa d'água, claro com muita tainha assada, e partiram para o Rio de Janeiro.


Lá foram recebidos por outro manezinho cheio de talento: Carlos Trilha. Trilha é hoje um músico disputado por cantoras do calibre de Marisa Monte, com quem já fez algumas turnês. Foi o músico que organizou e executou os dois trabalhos solos de Renato Russo, acompanhou a Legião urbana...enfim, é O CARA. Como Adauto falou no show "o cara abriu a casa, a geladeira, apresentou os amigos dele pro Dazaranha". E além disso dirigiu com maestria esse momento da banda catarinense. Nos shows de Floripa, Trilha participou de três músicas ao vivo e emocionou os amigos na terrinha. Foi lindo de ver.




No palco, as telas de Hugo Rubilar, artista Chileno quem mora na ilha e que também traduziu muito bem na arte as rezas Daza.


O primeiro show terminou com todo mundo querendo mais e tinha mesmo. Tinha "repeteco" na sexta feira.
E lá fui eu de novo, agora com a missão de fazer as honras da casa. Fiquei muito, mas muito nervosa...afinal era o palco do Daza. Paixão de pele.



Foi uma honra e quero agradecer a Paula Borges, da Harmônica Arte e Entretenimento, pelo convite. Nos bastidores eles estavam ansiosos e eu nervosíssima... e foi lindo de ver a confraternização que rola antes de um show.  
E desta vez o público levantou já na primeira música e foi assim até o final...só sentaram na parte acústica.



No repertório do show 5 músicas novas: "Afinar as Rezas", "A Noite Chegou", "Darci", "Mais de Calma" e "Chega mais Cedo" todas do Moriel Costa e "Espero" de J.C Basañez que desde o ultimo Cd vem se revelando um baita compositor também. Elas foram cuidadosamente colocada entre tantas outras músicas que fizeram parte da historia do Daza, como "Retroprojetor", "Cubo", além das lindas composições do Chico "Prá Ficar" e "Fé Menina". Foi como viajar nesses 25 anos através das músicas. E para dar mais sabor a essa viagem teve até capoeira. Prá quem chegou agora, no começo da carreira, Gerry e Moriel jogavam capoeira no palco do Daza. Lembro que a primeira vez que vi a banda pensei: que banda incrível: eles misturam guitarra e violino e ainda lutam capoeira!!!



Nos shows do CIC, Gerry jogou capoeira com outros capoeiristas e um em especial muito importante, o filho dele.


Moriel, com o dedo do pé quebrado, ficou no berimbau. Foi um momento lindo e prá quem viu o começo da carreira deles, foi uma viagem ao tempo mesmo.


Teve o Darci, personagem criado por Moriel que valoriza o jeito de falar e de contar historias dos manezinhos, cantando e divertindo o público. Muito bom!



Outro momento lindoooo foi Chico Martins cantando com a filha Ana Rosa um clássico da música catarinense: "Certos Amigos", da Banda Expresso Rural. Outra banda que é um orgulho prá nós!!! 


Ana Rosa tá arrasando na voz, na musicalidade e linda de ver também a emoção do pai. Lindo!!! Muita gente chorou não só no palco mas na plateia também.
Aliás, em vários momentos dava pra sentir a emoção dos músicos.


O show da segunda noite terminou com todo mundo querendo mais de novo e nos bastidores filas enormes de fãs querendo tirar uma foto e garantir o autógrafo Dazaranha. E dá um orgulho danado de ver isso.


Neste show a banda contou ainda com o reforço precioso de Dinho, na guitarra e Rubinho, no teclado.

O patrocínio reuniu uma galera que aposta em música autoral: Freguesia Bar, Oliveira Materiais de Construção, Cerveja Insana, Barbearia VIP, Floripeças e Quartzolit. A Gravação e prensagem do CD foi por meio da lei municipal de Florianópolis com patrocínio da Softplan. A realização e gestão artística foi da Harmônica Arte e Entretenimento e a assessoria de imprensa feita pela Cátia Klohn e sua Zug Conteúdo Inteligente.

Tem que aplaudir muito essa turma que investe em cultura e em música autoral. Eu acredito que quem tem acesso a cultura tem elementos para criar uma visão crítica e se torna um cidadão de fato. Quem tem visão crítica tem o poder de fazer escolhas muito mais fundamentadas e estamos em um momento que precisamos muito disso para melhorar o nosso País. Por isso, quem investe em cultura investe em um mundo melhor. Parabéns a esses empresários e que venham outros para apoiar outros projetos. Isso é fundamental. 



Parabéns Dazaranha. Pelos 25 anos. Por nos traduzir tão bem. Por valorizar a terra onde vocês moram, por ser esse trator sonoro com essa guitarreira e violino, ritmados pela cozinha pesada do baixo e bateria com o tempero único da percussão. É uma explosão que faz a gente soltar os bichos. Arrepia a alma.

"O que eu gosto da Ilha é de não sair
  Saio, eu volto
  Eu gosto é daqui" [A Noite Chegou - Moriel Costa]

Parabéns pelo novo trabalho carregado de mar, sal e sol. De bons sentimentos afinal sentir o bem, fazer o bem, viver de bem com a vida é o que vale e vocês são isso. Como manda a capoeira e Adauto lembrou: não é brigar por algo, é lutar por algo e isso faz toda a diferença. Como é bom cantar nossa cidade com vocês, como é bom cantar o amor com vocês. E que a vida seja sempre assim: boa música, uma tainha assada, o barulho do mar e o olhar carinhoso pra frente...sempre prá frente como está a banda hoje no palco: todos mais juntos do público de forma igual, de alma!
Obrigada por ser quem vocês são. Humildade e talento de sobra.


Nenhum comentário: