quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Cássia - o documentário!!!





Ontem fui assistir ao Documentário sobre Cassia Eller, de Henrique Fontenelle. Um trabalho espetacular que reuniu imagens de arquivo e, principalmente, imagens do acervo pessoal de Cássia, com depoimentos das pessoas que mais conviveram com Cássia.



Henrique conseguiu mostrar os dois lados de Cássia: a menina meiga e tímida e o monstro que subia nos palco e dominava o ambiente com aquela voz abençoada e uma postura que podia até assustar os menos avisados.




Eu tive a oportunidade de ver alguns shows dessa cantora fantástica. A vi com banda e também com o  show com três violões. Era sempre uma experiência única. Em um deles, ela foi dar entrevista ao Jornal do Almoço, jornal do qual eu era repórter. Lembro que cheguei na TV e encontrei Cássia no corredor, perto da porta do estúdio, encostada na parede esperando a hora de entrar. Imagina, eu diante de uma artista que eu admirava demais. Na época, não tínhamos as câmeras digitais e tal...e essa questão de autógrafo eu só pegava nos cds ou discos...(nunca me fez muito sentido um pedaço de papel com o nome da pessoa rsrsrs).  Como não tinha nem câmera, nem CD para ela autografar resolvi só chegar perto e dizer o quanto me fazia bem ouví-la. Ela recebeu o elogio de uma forma muito tímida, como se eu estivesse exagerando, imagina! Conversei um pouco com ela...ela falou que estava nervosa porque não gostava muito dessa coisa de entrevista... enfim, foi um breve papo. Mas fiquei impressionada com a timidez e com o jeito moleca dela. A noite fui no show, que foi numa antiga fábrica, no Saco dos Limões, e la´estava a Cássia "endemonhada"...com os seios de fora rsrsrs 
O Documentário mostra muito bem isso...o quanto ela era doce, amorosa nos bastidores e uma explosão no palco. Mostra também que ela realmente não gostava de dar entrevistas...e ouvindo as perguntas eu fico pensando: é foda mesmo. Sempre as mesmas perguntas...algumas uma verdadeira viagem, outras que mais parecem um texto de comédia rsrsrs como repórter sei que em muitos casos a gente não foge do famoso: como vai  ser o show hoje?  Mas alguns colegas se puxam na criatividade! Enfim... E tem também a discussão de um lado que eu abomino no jornalismo: a mania de ignorar a história de um artista em nome de uma manchete do tipo "morreu por overdose".  Ok, se foi por drogas ou não, e aí? Isso não poderia ser maior que a historia artística, do legado deixado por ela. Mas como bem disse Zélia Duncan: "tem quem consome,né?" E enquanto esse tipo de abordagem vender... é o que vamos ter.




A vida amorosa de Cássia e como ela administrava seus amores está ali...em, meio a triângulos amorosos, aventuras, Maria Eugênia sempre esteve ali, ao lado de Cássia. 




A amizade linda com Nando Reis. Aliás, Nando fala de Cássia com tanto carinho no olhar que aí a gente entende como uma música como "All Star" nos toca tanto: É o reflexo dessa amizade, de um sentimento simples, verdadeiro, livre e leve coberto com tanto amor.




O filme termina mostrando que, até depois da morte, Cássia contribuiu para a quebra de tabus. Seu filho, Chicão, ficou com a companheira de Cássia, Maria Eugênia, em uma decisão inédita da justiça brasileira. O Pai de Cássia, numa atitude oportunista, entrou com pedido de guarda no neto, mas estava de olho na herança de Cássia. A justiça deixou o filho com a mãe Maria Eugênia.




Chicão aparece dando seu depoimento e é a cópia fiel de Cássia: seu jeito, sua maneira de falar! É impressionante.

Pra quem é fã da nossa música e da Cássia, o documentário é imperdível!

Parabéns Henrique Fontenelle e equipe!!! E Obrigada por deixar essa historia registrada e  bem contada!

[fotos:divulgação]

Deixo aqui um trailler!






Um comentário:

Mirelle disse...

Eu estava com vontade de assistir, mas agora estou simplesmente louca para assistir a esse documentário! <3
http://efeitotranslucido.blogspot.com/