sexta-feira, 8 de março de 2013

Marisa Monte e seu "Verdade Uma Ilusão" - uma experiência única!



A combinação perfeita entre bom gosto, profissionalismo e arte! É difícil definir o show de Marisa Monte talvez porque seja difícil definir uma emoção que nos tira do comodismo. Em muitos momentos me vinha a pergunta: que dom é esse? Que criatura fora do comum!


Marisa não faz tudo isso sozinha ,é fato! Tem uma banda primorosa, músicos escolhidos pela particularidade de cada um que juntos compõem uma banda impecável. Tem os técnicos, os artistas que fazem o cenário, tem a luz, o som perfeito. Mas a concepção de tudo isso sempre é dela.


Há 12 anos, quando ela esteve aqui com "Barulhinho Bom", tive o prazer de entrevista-la e ela me falou que faz questão de levar na turnê o mesmo show que ela apresenta em Rio e São Paulo. Mérito pra ela. Talvez por isso ficou tanto tempo sem vir a Floripa (12 anos). Uma capital que carece de bons espaços para espetáculos desse porte, o que é uma vergonha! Agora ela voltou pelos braços da Eveline Orth e sua caprichosa equipe! E agradeço imensamente pela coragem e empreendedorismo da Orth Produções. Achou no Costão do santinho, um lugar que abrigou maravilhosamente bem esse show de arte e cultura.




Ver um show de Marisa, independente de ser fã ou não, é uma experiência única! Cheio de detalhes que demonstram o cuidado da artista com sua arte.
 





 


Na abertura, entre palco e plateia, uma cortina que dá aquele visual soft para quem está de frente para o palco. Essas mesmas cortinas, só que somente nas laterais, voltam toda vez que a artista interpreta alguma canção do novo trabalho.
 
 



Cortinas que viram e revelam espelhos,
 
 
 
 
projeções que saem do palco e invadem paredes...
 
 
 
iluminação que transforma o vestido da cantora em um céu estrelado...a cada música um presente aos olhos!




 
 

Em "Depois" uma projeção de um quarto com uma cama dá o tom da solidão pós fim. Nas paredes a letra da música se transforma em uma carta escrita à mão dão o tom de um reinicio. O clima criado enche nosso corpo de sensações.



Em "Amar Alguém" a dualidade da letra.

 
 
A qualidade do som, da banda é um presente aos ouvidos.



Na banda Dadi (violões, guitarra e ukulelê), músico que acompanha a cantora há anos, Pupillo(bateria e cocktail drums), Dengue(baixo) e Lucio Maia(guitarras e violões) - trio do nação zumbi, Pedro Mibielli(primeiro violino e adaptação de arranjos para quarteto), Glauco fernandes(violino), Bernanrdo Fantini(viola), Marcus Ribeiro(cello) e o catarinense Carlos Trilha nos teclados, voz e programações... e que orgulho ver o Trilha ali. O músico também acompanha a cantora há anos.



No repertorio Marisa passeia por todos os trabalhos com atenção especial para o ultimo “O que se quer saber de verdade”.



Além das mais recentes estavam lá ”, “Bem que se quis”, “Beija Eu, “Diariamente”... Marisa ainda trouxe de volta “Não vá embora”, “Gentileza”, “Infinito Particular”, “Velha Infancia” e tantas outras! Amei especialmente ver “Ilusión” que Marisa gravou com a cantora Julieta Venegas em sua versão 100% brasileira...coisa mais linda do mundo!



Marisa também canta ECT, uma música que ficou conhecida na voz de Cassia Eller, mas é uma composição de Marisa com Nando Reis e Carlinhos Brown. Marisa conta que Cassia pediu uma música a eles. Eles, claro, colocaram tudo que tinham nas mãos dela. Cassia escolheu a ECT e cantou com tanta propriedade que nenhum deles ousou gravar a música. Nesta turnê Marisa resolveu cantá-la. Falou da admiração que tinha por Cassia e definiu muito bem a saudade: "Saudade não é quando a gente sente falta de alguém. Saudade é quando a gente sente a presença dessa pessoa." 


Marisa também fala da admiração pela cantora italiana Mina Mazzini pra quem mandou "Ainda bem" na esperamça de dividir os vocais com ela. Mina, reclusa há alguns anos, gostou tanto da música que pediu permissão para gravar sozinha a canção. Marisa, claro aceitou e gravou ela também a  música sozinha. No show fez uma homenagem a Mina cantando uma das canções conhecidas na voz da italiana "Sono Come Tu Mi Vuoi".



A simpatia, a postura de palco, o bom gosto no figurino fazem o show passar num piscar de olhos!



Marisa volta pro bis sozinha...canta “Amor I LoVe You” e conta com uma parceria de uma pessoa do público para declamar o poema da canção. Microfone na plateia... lindo! Depois volta a banda para mais uma música e no encerramento ela novamente sozinha, sem nenhum instrumento...dá a largada para “Bem que se quis” e deixa a plateia cantando. As cortinas se fecham e fica aquela sensação de “quero mais, muito mais”.


Hoje ainda há uma chance para quem não viu. Ás 20 h no costão do santinho e olha, saiam cedo de casa, porque na chegada do costão tem fila e não recomendo perder nenhum segundo desse show. E reforçando: hj o show começa às 20h! Se liga!



Eveline, Nani...obrigada pelo carinho e principalmente por mais uma vez nos dar a oportunidade de ter essa experiência única! Que bom que vocês existem!!!! Parabénssssss


2 comentários:

Vanessa Corrêa da Silva disse...

Talento, competência, trabalho, humanidade e gentileza traduzem Marisa Monte e sua equipe. Impecáveis! Indescritível...

Mago disse...

Excelente descrição do Show, fiquei com vontade de ir. Amo Marisa Monte, ela é ímpar. Obrigado por compartilhar conosco! beijos meus.