sábado, 22 de dezembro de 2012

Lenine e a Ilha!!!



Pra fechar a agenda de shows de dezembro na ilha nada melhor que ver e ouvir Lenine!


Eu digo que este homem é um entidade: ele aparece no palco e a áura dele toma conta do espaço.
Lenine mostrou no CIC, na ultima quinta feira, o show "chão". Ele já havia apresentado uma prévia desse show na Maratona Cultural de Florianópolis em março deste ano. Foi lindo, mas no teatro ficou ainda melhor.

 

Aliás, Lenine tem uma ligação com a ilha. Sempre que vem toma um banho de mar, como aconteceu quando fez show no Floripa Tem. Antes do show lá foi ele tomar banho na praia brava. Lamentou que dessa vez não pode comer uma sequência de camarão por causa do pouco tempo por aqui (alguém tem que levar ele na costa da lagoa rsrsrs) mas ganhou do músico Chico Martins farinha feita em um dos moinhos da ilha que ainda sobrevivem e uma cachaça amarelinha. Chico tem uma parceria com Lenine. Uma música feita para o Projeto Tamar. E quando duas almas grandiosas da música se encontram só pode sair coisa boa. O resultado está neste vídeo...lindoooooo!!!!


O trabalho "Chão" começou a ser concebido de forma intimista com o filho Bruno, que foi quem também produziu o trabalho.

 

E claro que começou com uma ideia e foi se transformando em muitas mais.    
E a primeira mudança aconteceu quando ao gravar uma das canções vazou o canto de um passarinho, o canário da família: Frederico Sexto. O canário foi tão competente nos arranjos que acabou fazendo parte do cd e abriu a possibilidade de outros sons que fazem parte do nosso chão entrarem no trabalho: a chaleira chiando, o vento, a cigarra, os passos e por aí vai.


A banda é formada pelo filho Bruno e pelo guitarrista Junior, além de Lenine.


Os três tem o apoio das programações musicais que colocaram no palco um mundo de detalhes.


O cenário do show traz como elemento mais forte o chão com um tapete vermelho lembrando folhas, mas também tem uma iluminação linda. O som em 5.1 faz a gente sentir cada detalhe no coração. Foi como ouvir o disco, em todos os seus detalhes, ao vivo: os pássaros, os passos, a cigarra, o vento, a chuva. A sensação era de estar em vários ambientes sem sair do lugar.


No repertório uma passeio competente por todos os trabalhos do artista. O que mais amo no Lenine? A força das letras. "Paciência" é uma oração: (...)Mesmo quando tudo pede/ Um pouco mais de calma/ Até quando o corpo pede/Um pouco mais de alma/ Eu sei, a vida é tão rara (...)
E quando fala de amor então: (...)Avassalador/ Chega sem avisar/ Arrebatador/ Vem de qualquer lugar/ Aquilo que dá no coração/ Que faz perder o ar e a razão/ Aquilo reage em cadeia/Incendeia (...)
E para chão a letra maravilhosa (...)Chão!/Chega perto do céu/Quando você levanta a cabeça e tira o chapéu/Chão!/Cabe na minha mão/O pequeno latifúndio do seu coração/Chão!/Quando quer descer
Faz uma ladeira/Chão!/Quando quer crescer/Vira cordilheira (...)



Só um ser com alma leve compõe coisas tão lindas!
Um show para apreciar música em todos os seus estados.
Parabéns ao Lenine por sua arte.
Parabéns ao Abel pela sequência de shows fantásticos que tem trazido a Floripa...só coisa boa!
E obrigada Paula Borges pelo convite...minha alma agradece!!!



2 comentários:

Mago disse...

Muito bom,eu amo o som do Lenine é sempre surpreendente, sempre marcante e é poesia pura... Obrigado por compartilhar isso conosco. Um grande abraço e uma excelente virada de ano!

Zuza Zapata disse...

Oi,
Bem bacana a postagem!
Abraços,
Zuza Zapata
www.zuzazapata.com.br