segunda-feira, 21 de maio de 2012

Raul Seixas: o inicio, o fim e o meio


No domingo fui ver o documentário "Raul Seixas o início, o fim e o meio". Saí do cinema com a sensação - que falta faz a loucura sábia de um Raul Seixas!
O documentário é uma viagem pela vida profissional e pessoal de Raul através de depoimentos de pessoas que conviveram com o roqueiro baiano. E quanta gente louca cruzou o caminho desse cara...tem momentos engraçadíssimos (como a produtora que acaba a entrevista se vira e entra calmamente em uma piscina de água turva, com roupa e tudo, mergulha, sai da água e vai embora rsrsrs) e outros de pura reflexão. Durante a entrevista com Paulo Coelho uma mosca surge e Paulo deixou a entender que seria Raul dando o ar de sua graça...e ele diz "não vou matar" mas num ato de reflexo tenta matá-la com um belo tapa rsrsrs muito bom!
O documentário dirigido por Walter Carvalho abriu mão, em muitos momentos, da estética para mostrar a realidade de quem conviveu com Raul. São depoimentos sem cuidado com iluminação, cenário o que deu um tom a mais de realidade como deve ser um documentário. Uma linguagem simples e crua como era Raul.
Trechos de entrevistas dadas pelo Raul estão ali. Em uma delas a reporter pergunta: "você faz músicas de protesto" e ele diz "não, as pessoas dizem mas eu não faço música de protesto não. Eu falo o que tenho vontade" e ela insiste "como você classifica então sua música" e ele "raul seixismo".
O fato é que Raul era um cara com ideias muito além de seu tempo e de uma inteligência absurda.
Como bem disse Pedro Bial, a inteligência dele driblava com louvor a censura da época que nem imaginou o que significa na verdade a música "Ouro de Tolo".
O documentário revela a trajetória de parceria com Paulo Coelho, mas revela outro grande parceiro que hoje vive no meio do mato e conserva intacta ainda a casa onde ele e Raul escreveram grandes sucessos, Cláudio Roberto.
Na vida pessoal suas historias de amor a muitas parceiras de vida, mulheres que Raul amou. Suas filhas, a relação delas com a historia do pai.
Como ultimo suspiro nos palcos ele foi resgatado por Marcelo Nova. O filme mostra a dúvida de muitos que diziam que Nova estava se aproveitando da figura de Raul, sensação que não me parece verdadeira tamanho o respeito que Marcelo tinha por Raul.

Toda essa historia é enriquecida com depoimentos de Caetano Veloso, Nelson Motta, Pedro Bial além dos  amigos e parceiros.
Uma bela parte da nossa música, de um cara que viveu grandes historias, intensas e livres.
Vale a pena conferir.








Nenhum comentário: