segunda-feira, 21 de maio de 2012

Raul Seixas: o inicio, o fim e o meio


No domingo fui ver o documentário "Raul Seixas o início, o fim e o meio". Saí do cinema com a sensação - que falta faz a loucura sábia de um Raul Seixas!
O documentário é uma viagem pela vida profissional e pessoal de Raul através de depoimentos de pessoas que conviveram com o roqueiro baiano. E quanta gente louca cruzou o caminho desse cara...tem momentos engraçadíssimos (como a produtora que acaba a entrevista se vira e entra calmamente em uma piscina de água turva, com roupa e tudo, mergulha, sai da água e vai embora rsrsrs) e outros de pura reflexão. Durante a entrevista com Paulo Coelho uma mosca surge e Paulo deixou a entender que seria Raul dando o ar de sua graça...e ele diz "não vou matar" mas num ato de reflexo tenta matá-la com um belo tapa rsrsrs muito bom!
O documentário dirigido por Walter Carvalho abriu mão, em muitos momentos, da estética para mostrar a realidade de quem conviveu com Raul. São depoimentos sem cuidado com iluminação, cenário o que deu um tom a mais de realidade como deve ser um documentário. Uma linguagem simples e crua como era Raul.
Trechos de entrevistas dadas pelo Raul estão ali. Em uma delas a reporter pergunta: "você faz músicas de protesto" e ele diz "não, as pessoas dizem mas eu não faço música de protesto não. Eu falo o que tenho vontade" e ela insiste "como você classifica então sua música" e ele "raul seixismo".
O fato é que Raul era um cara com ideias muito além de seu tempo e de uma inteligência absurda.
Como bem disse Pedro Bial, a inteligência dele driblava com louvor a censura da época que nem imaginou o que significa na verdade a música "Ouro de Tolo".
O documentário revela a trajetória de parceria com Paulo Coelho, mas revela outro grande parceiro que hoje vive no meio do mato e conserva intacta ainda a casa onde ele e Raul escreveram grandes sucessos, Cláudio Roberto.
Na vida pessoal suas historias de amor a muitas parceiras de vida, mulheres que Raul amou. Suas filhas, a relação delas com a historia do pai.
Como ultimo suspiro nos palcos ele foi resgatado por Marcelo Nova. O filme mostra a dúvida de muitos que diziam que Nova estava se aproveitando da figura de Raul, sensação que não me parece verdadeira tamanho o respeito que Marcelo tinha por Raul.

Toda essa historia é enriquecida com depoimentos de Caetano Veloso, Nelson Motta, Pedro Bial além dos  amigos e parceiros.
Uma bela parte da nossa música, de um cara que viveu grandes historias, intensas e livres.
Vale a pena conferir.








domingo, 13 de maio de 2012

Titãs e seu "cabeça Dinossauro" em Floripa!



O show "Cabeça Dinossauro" foi lindo e, mais uma vez, mostrou a capacidade de se manter na ativa que tem a banda Titãs. Quando a gente pensa que eles estão quietinhos eles se recriam!



A primeira parte do show eles dedicaram exclusivamente a executar as músicas do disco que marcou a primeira grande virada da banda: acrescentau à performance dos Titãs, o lado rock n' roll na veia dos músicos paulistas.


Para quem não lembra Titãs lançou o primeiro trabalho em 1984 com o título "Titãs" e ficaram conhecidos como Titãs do Iê, Iê, Iê. No repertório músicas pop envolventes como "Sonifera Ilha" "Go Back" e "Marvim".



Em 1985 veio "Televisão" que seguia a mesma linha. Mas em 1986, chegou "Cabeça Dinossauro" e foi uma pancada: bem mais agressivo, com uma levada rock-punk...me lembro que parecia outra banda. E foi justamente este trabalho que consagrou a banda como uma das maiores do Rock brasileiro. E olha a lista de talentos no palco: Sergio Britto, Arnaldo Antunes, Nando Reis, Paulo Miklos, Charles Gavin, Marcelo Fromer, Tony Belotto e Branco Mello!


Reviver este disco foi uma bela sacada para dar sangue novo aos Titãs que ainda continuam juntos: Tony Belotto, Branco Mello, Paulo Miklos e Sérgio Britto.


Depois de executar o disco inteiro a banda saiu do palco!!! E claro que o público pediu bis e eles voltaram agora para um bis que foi a outra metade do show.


E nesse "bisão" eles tocaram músicas de vários outros álbuns: Titanomaquia (o mais pesado de todos), O Blésq Blom, Jesus Não tem Dentes no País dos Banguelas e muitos outros. Muito bom!



E os moços estão em plena forma. E o público de Floripa adora a banda...não foi à toa que gravaram um dos DVDs da banda em Florianópolis, no forte de jurerê (aliás, um DVD lindoooo)> Depois do bis gigante o público não desistiu e eles ainda voltaram para tocar "Marvim". Showzaço!!!


há rumores que eles podem fazer uma turnê comemorativa aos 30 anos da banda com as participações do ex-integrantes Arnaldo Antunes, Nando reis e Charles Gavin....seria maravilhoso!!!!


Parabéns a Orht Produções por mais este belíssimo show ao nosso alcance!!!!!